segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

CONJUNTO NOVA ESPERANÇA , COLANDO GRAU, Casal é indenizado em R$ 70 mil por erro médico

CONJUNTO NOVA ESPERANÇA


Foi lida na manhã de hoje no programa Tâmara Noticias na integra uma carta enviada por moradores do conjunto habitacional Nova Esperança, eles estariam indignados com o descaso da administração para com aquela população, reclamaram das promessas feitas em campanha e que ainda não teriam sido realizadas, porem lembramos que a nova administração assumiu há quase 50 dias e não daria para asfaltar e nem construir a creche que estão reivindicando, com tudo à promessa foi feita e precisa ser cumprida. Alem disso os moradores também reclamaram que só são lembrados em época de campanha eleitoral, desde que passou a eleição dizem que não passou nenhum vereador ou se quer prefeito e vice naquele bairro.
Queria dizer que não é somente ali que os nossos políticos não passam, tem muitos bairros e ate mesmo distritos que ficam abandonados e que só é visto de quatro em quatro anos, mas é necessário dar uma chance.

COLANDO GRAU

Na ultima quinta feira (12/02/2009), a jovem auxiliar de farmácia Paula Rubia colou grau no curso de Enfermagem pela Fafipa, Paula tem planos grandes para o futuro e recebeu de amigos e parentes os desejos de muita sorte para os próximos passos de uma carreira promissora e cheia de sucesso.

PICARETAS DA MELLO PALHETA

A população esta indignada com os corretores de imóveis e automóveis, chamados “picaretas”, que ficam exercendo suas funções na Praça Mello Palheta, segundo os moradores reclamaram, eles estariam atrapalhando o fluxo de passagem das pessoas pelas calçadas que ligam do foto ao Lojão do Davi. Senhoras comentam que carrinhos de bebe não passam por ali devido o numero grande de corretores.

GRUPO SYLPHIDES

O Grupo de dança que representa nossa cidade em vários lugares do país, nasceu no dia 12 de agosto de 2003 e de lá para cá tem passado por lugares como Maringá, Paranavaí, Alto Paraná, Engenheiro Beltrão e também tem ido a festivais em vários lugares do Brasil, o grupo já participou de festivais internacionais (festival Del danzas Del MERCOSUL) em Puerto Iguaçu, Missones, Argentina. Trazendo pra nova esperança o titulo de 2º lugar, ou seja, o segundo melhor grupo de jazz do MERCOSUL. Já fez apresentações, em festas da cidade, concursos de miss nas da região, formaturas, concessões, abertura de desfile de moda de grife conceituada de lingerie e recentemente abrilhantou o MISS PARANÁ, o qual foi muito elogiado pela espontaneidade, e profissionalismo, a falta de espaço fazem com que o grupo ensaie em um espaço privado hoje o grupo tem convites fechados para apresentações ate o mês de setembro, para maiores informações entre em contato com MARCUS VINICIUS: marcusdance20@hotmail.com, telefone 3252 2133/8824 2701.


Casal é indenizado em R$ 70 mil por erro médico Fonte: O Diário Maringá


A Justiça determinou à Prefeitura de Nova Esperança (a 54 km de Maringá) o pagamento de indenização no valor de R$ 70 mil ao casal Gilson Elias Soares, 39 anos, estivador, e Edilaine de Oliveira Araújo, 20, camareira, por erro médico que levou, em 2006, à interrupção da gestação de três meses da mulher.

O caso ocorreu no Hospital Municipal de Nova Esperança. A prefeitura pode recorrer da sentença. A Polícia Civil ainda investiga o caso para apurar a responsabilidade dos envolvidos. Além da ação de reparação por danos morais, o casal aguarda resultado de outra ação, de danos materiais.

Em dezembro de 2006, Edilaine estava grávida de três meses quando percebeu um pequeno sangramento e procurou o hospital municipal. Gilson conta que o médico, sem fazer muitos exames, afirmou que a criança estava morta e, em seguida, aplicou uma injeção abortiva.

“Na época, eu pedi a ele que fizesse um ultra-som, mas ele afirmou que seria um gasto desnecessário. O médico fez procedimento de auscultação, mas acho que o aparelho (estetoscópio) estava estragado”, conta o marido.

Após a injeção e sem apresentar melhoras, um outro médico do mesmo hospital se propôs a atender Edilaine. “Ele (o médico) tinha terminado de atender a um parto de outra mulher e fez, por conta própria, um ultra-som. Ao contrário do primeiro prognóstico, o exame mostrou que o bebê estava vivo”, conta Soares.

Durante a noite, a bolsa se rompeu – por conta do abortivo - e a mulher foi encaminhada ao Hospital Universitário de Maringá. “Ela perdeu todo o líquido [amniótico], a criança não tinha condições de sobreviver”, afirma o pai.

O casal, que atualmente reside em Maringá, espera a chegada do primeiro filho. Edilaine está grávida de seis meses, mas não esquece o dia 12 de dezembro de 2006, quando teve a gravidez de três meses interrompida. “Fiquei deprimida, precisei de tratamento psicoterápico. Agora eu espero justiça”, declara.

A mulher não ficou com seqüelas físicas, mas as marcas psicológicas permanecem até hoje. “Quem não sente a perda de um filho? Era para ele ter dois anos agora”, lamenta. O advogado Messias Uchoa, que representa o casal em uma ação cível contra a Prefeitura de Nova Esperança e o médico, diz que vai requerer também indenização por danos materiais. “O valor deverá ser fixado em R$ 50 mil.”

Por enquanto não há um processo judicial criminal, pois este depende da conclusão do inquérito policial. Segundo o escrivão Felix Soares, da Delegacia de Polícia Civil de Nova Esperança, o caso ainda está em investigação e não há previsão para a conclusão do inquérito. “É um caso demorado, pela quantidade de procedimentos”, explica.

Um comentário:

  1. Onde parou o caso das Lipoaspiraçoes no Hospital Municipal?

    ResponderExcluir